13.11.15

Terror da Vida Real + Jeff The Killer + Lights Out

Se histórias e filmes de terror são tão pavorosos e causam um horror visual tão grande, por que nós acabamos assistindo, gostando e ainda acompanhando uma saga inteira de terror e muito sangue?

Hoje, no Globo Repórter. (Brincadeirinha)


  Olá, galera, e aí, como estão?    

Vocês já assistiram um filme daqueles que você gritou mais que a MC Melody imitando a Mariah, quase colocou suas tripas para fora pelo umbigo, ficou com um "medinho saudável" bem marcante principalmente no quarto de noite no escuro... 

Então você comenta sobre o filme mais pavoroso que você viu na vida e seu amigo(a) diz:
"Ah, não achei graça... Foi super tranquilo!" 

Já aconteceu? Vem comigo que te explico porque!

 Let's Go!

"Ah, não acredito que você se assustou com isso..." -SIM!

Nem todo mundo se assusta com o mesmo tipo de filme, e, dependendo da pessoa, mesmo um filme bem infantil poderá deixa-la muito traumatizada.

Isso acontece porque guarda-se diferentes tipos de experiências do que nomearei como medo real, que são objetos ou acontecimentos traumatizantes que terráqueos guardam no subconsciente como algo aterrorizante pela própria experiência vivida e, se experienciado em algum filme ou história de terror será vista como algo pessoal para elas.



As pessoas vêem e leem também coisas aterrorizantes porque dentro de nossas cabeças ocorre uma comparação entre a mentira dos filmes com finais felizes e doces e a luta pela vida que se passa nas histórias aterrorizantes. 

Não parece, mas isso fica na cabeça das pessoas, lá no subconsciente!
É claro que isso exclui dramas, porque ninguém é totalmente feliz nos dramas.
Brincadeira, viu, fãs de dramas.

"Fala sério, vaza daqui..."

Isso não significa que ocorrerá com você, mas dependendo do caso é bem possível e, assim o terráqueo guarda o que deve ou não fazer num futuro em que zumbis possam atacar a terra... 

Aposto que aquele filme que você viu que te matou de medo tinha algo que você realmente temia. Pense bem.

Agora, para deixar um "medinho saudável" vou inserir aqui um dos contos mais antigos que conheço e com maiores provas de ser real.

Cuidado, clique na imagem apenas se não tiver medo de topar com esses olhos durante a madrugada: Jeff – O Assassino


"Meus olhos bugaram depois de ler essa história, mas estou bem..."

E para finalizar e entreter de uma forma um pouco macabra, e sem sangue - sim, você ouviu. Nós não nos assustamos com o sangue, e sim com a sensação de perigo que ele causa - lhes deixo esse curto, mas significativo vídeo do qual consigo ter bons tempos de terror noturno.

Ganhou o prêmio de melhor curta no Fant Bilbao 2014.

Com razão.

Tenho medo de ficar sozinha em casa e acontecer algo assim. Acho que morro antes de ser atacada.
Me julguem.

Mas aposto que vai bater um medo saudável, tem coragem de assistir até o final e me dizer o que achou?



É claro que á medida que o ser humano cresce seus medos mudam, se tornam mais sérios, ou mesmo mais simples, mas acredito que ninguém pode vencer todos os seus medos.

Eu nunca venci todos os meus.


Eu tenho medo de conterrâneos meus de Saturno Menor vir, aterrorizar todo mundo e me confundir com um deles.

E você, tem medo de que?


E então, gostaram da história? E do vídeo?


Existe alguma história ou filme que você viu e sente que nunca mais sentirá tanto medo na vida?


♡ Não se esqueça de fazer parte do Blog e curtir a página, obrigada! 








Nenhum comentário:

Postar um comentário